Category Archives: Aprende

workload_produtive

Produtividade… na carga horária

Este é um precioso diagrama de fluxo (flowchart) que apresenta as soluções para os principais problemas que possas ter com a tua carga horária.  Por exemplo, tens demasiadas coisas que te distraem quando estás a trabalhar? Sugestões: usar o Evernote ou ver o vídeo “Getting Things Done”. Na versão interativa, os círculos amarelos levam-te aos sites das ferramentas, os vermelhos apontam para vídeos e os azuis apresentam artigos.

Se clicares na imagem vais ter à versão interativa (original de Simply Business)

shy_face

O porquê da timidez e como a vencer

Porque somos tímidos?

Shyness is not genetic. At least it is not proven to be. There is no gene for it. It’s my belief that it’s cultivated within us, by environment, by family and just dumb luck.

O ambiente em que vivemos e as experiências que vamos acumulando moldam a nossa personalidade e tornam-nos tímidos (introvertidos) ou confiantes (extrovertidos). Se na escola o falhanço for ridicularizado então desde cedo as crianças que erram vão reprimir-se e evitar a todo o custo fazer algo que não têm a certeza de ter êxito. Se por outro lado, as crianças (e todas as pessoas) forem incentivadas a experimentar, a falhar e a aprender, teremos jovens e adultos muito mais confiantes, versáteis e pró-ativos.

Why do we get so caught up in this “too much thinking?” What’s the worst thing that could happen? The answer is failure. Most of us are so afraid of failing that we don’t even risk it. And what’s worse, risk and rejection become something to avoid at all costs. A habit is formed. We close doors that may lead to opportunities and stop putting ourselves out there for other people to respond to.

Como vencer a timidez?

… confidence (…), like willpower or intuition, (…) can be practiced, exercised and strengthened, like a muscle. But just like any physical exercise, it’s always hard and takes constant work. And, more importantly, constant awareness.

My own definition of confidence is “being there.” This means being in the moment and acting with intention, not distracted by second thoughts or being “in your head.” Not listening to your inner critics or assuming what others are thinking of you, judging or presupposing “their” reaction instead of just moving forward—and confidently.

Vencer a timidez envolve persistência e empenho. É preciso esquecê-la por momentos e arriscar! Declara-lhe guerra em todas as oportunidades. Tens medo em falar em público? Oferece-te para dar um workshop! Tens medo de falar para plateias? Oferece-te como orador! Tens medo de falhar? Arranja um grupo de amigos e cria um projeto! É disto que estamos a falar, de vencer um medo, um medo irracional que limita o teu potencial. Liberta-te!

Fonte: http://the99percent.com/articles/7164/Op-Ed-Confidence-vs-Shyness

meeting_produtive

Produtividade… nas reuniões

Este é um precioso diagrama de fluxo (flowchart) que apresenta as soluções para os principais problemas que possas ter com reuniões. Por exemplo, achas que gastas demasiado tempo a deslocares-te para reuniões de trabalho com os teus colegas? Sugestão: Google+ hangout. Na versão interativa, os círculos amarelos levam-te aos sites das ferramentas, os vermelhos apontam para vídeos e os azuis apresentam artigos.

Se clicares na imagem vais ter à versão interativa (original de Simply Business)

collaboration_produtive

Produtividade… em trabalho colaborativo

Este é um precioso diagrama de fluxo (flowchart) que apresenta as soluções para os principais problemas que possas com o trabalho colaborativo. Por exemplo, tens dificuldade em acompanhar longas cadeias de emails? Sugestão: usar a ferramenta Trello. Na versão interativa, os círculos amarelos levam-te aos sites das ferramentas, os vermelhos apontam para vídeos e os azuis apresentam artigos.

Se clicares na imagem vais ter à versão interativa (original de Simply Business)

quote

Como usar citações corretamente

Dizer por palavras nossas o que outro já disse é plágio! Deves sempre avisar que estás a escrever com base na opinião de outra pessoa. Por isso, para evitares problemas e para o teu texto ficar devidamente sustentado deves usar citações. De seguida vou apresentar-te os casos mais frequentes:

Caso 1: Imagina que leste um livro e que precisas de usar excertos do livro para sustentar as tuas opiniões.

“Se estiveres a citar diretamente uma segmento de texto do autor do livro deves usar esta forma (entre aspas curvas).”

Caso 2: No livro que leste, o autor já está a sitar uma outra pessoa.

«Nesse caso deves substituir as aspas curvas por aspas angulares, tal como foi usado neste exemplo.»

Caso 0: Chamei-lhe caso zero porque pode ser aplicado em conjunto com o caso 1 ou caso 2.

“Se o excerto de texto que vais citar ocupa mais de três linhas então deves destacá-lo do texto. Neste caso as aspas são curvas porque se supõe que estou a citar um autor diretamente (caso 1), mas também era possível estar a citar outro autor (caso 2) e nesse caso já usaria as aspas angulares.

Para terminar é importante salientar que as citações devem ser sempre feitas na sua língua original. Se quiseres podes fazer a tua tradução livre mas esta deve aparecer como nota de rodapé.

stay focusd

Não te distraias enquanto navegas na internet

És daquelas pessoas que vai ver o email de minuto a minuto? Ou assim que recebes um link para um vídeo do youtube vais logo vê-lo? Quanto tempo passas nas redes sociais, fazes alguma ideia? É-te difícil de resistir a estas tentações. Pois bem, para te facilitar a evitar distrações podes usar o plugin Stay Focusd.

E então o que faz esta ferramenta? Basicamente dizes-lhe que sites são distrações e qual o tempo máximo que aceitas distrair-te por dia nesses sites. Assim de cada vez que os visitas o Stay Focusd começa a contar o tempo que demoras.

Quando o tempo limite for ultrapassado o Stay Focusd simplesmente bloqueia-te o acesso ao site e mostra-te a mensagem abaixo: “Não devias estar a trabalhar?”

Para aqueles que se distraem com outras coisas que não o browser ou que não querem/podem instalar mais um plugin no browser podem simplesmente usar a técnica do “post-it motivador“.

write

Quando escrever números por extenso num texto

A maioria das pessoas acha que os números num texto formal devem ser escritos sempre por extenso. Na realidade, existem algumas regras que determinam se há necessidade de se escrever o número por extenso ou se é possível escrever o algarismo.

Seguem as principais regras:

  • Todos os números abaixo de menores que 10 são escritos por extenso.

Ex: Das 10 máquinas compradas cinco apresentaram problemas.

  • Exceções: unidades de medida, idade, tempo, datas, números de páginas, percentagens, valores, proporções.

Ex: 2 metros, 32 anos, 8h00, 16 de novembro, Página 4, 51%, 50€

  •  Nunca mistures algarismos com números por extenso.

Ao invés de: Ao sexto dia do lançamento, 20% do novos produtos ainda não estavam distribuídos.
Escreve: Ao 6º. dia do lançamento, 20% do novos produtos ainda não estavam distribuídos.

  •  Os grandes números devem ser escritos na forma mais familiar ao leitor do texto que estás a escrever.

Qual será mais familiar: 185.000.000, 1,85 x 10^8 ou 185 milhões?

  • Se os últimos cinco ou seis dígitos forem zero substitui-os por uma palavra.

3 milhões (e não: 3.000.000)

  •  Decimais e frações não devem ser escritos por extenso.

0,39 (e não: zero vírgula trinta e nove)
¾ (e não: três quartos)

  •  Quando apresentares números em colunas, alinha-os sempre à direita.

850.748
138
25.894
1.937
18

  • Não exageres no grau de precisão, no máximo, duas decimais.

3,14 (e não 3.1415)

  •  Se o número é uma aproximação, menciona-o.

Aproximadamente 13 milhões
Cerca de 30 metros

  • Não comeces uma frase com números.

Quatro quintos do território (e não: 4/5 do território)
Três mil e quatrocentos euros foi o custo (e não: 3.400€ foi o custo)

  • Só se usa a forma 02 (e não: 2) em documentos de natureza legal, fiscal ou jurídica.

Fonte: http://www.escreverbem.com.br/pt-br/num_extens.html

recruiters-resume

O que os empregadores procuram no teu currículo em 6 segundos

É sabido que os recrutadores gastam pouco tempo a ler os currículos que lhes são enviados. Pouco tempo significa “em média 6 segundos até decidirem se és interessante ou não”. Por isso deves ser conciso e focar-te naquilo que realmente lhes interessa.

Um estudo usou tecnologia “eye-tracking” para registar onde é que o olhar dos recrutadores se demora num currículo. Concluiu-se que:

No pouco tempo que gastam a olhar para o teu currículo, eles olham para o teu nome, a tua empresa atual e a tua função, quando começaste essa função, qual foi a tua função anterior e qual a empresa em que estavas, quando começaste e terminaste essa função, e a tua educação.

Fonte: http://lifehacker.com/5901056/recruiters-only-look-at-your-resume-for-an-average-of-six-seconds-and-this-is-what-they-see

iLOVEmath

Porquê estudar matemática e como o fazer

Porque razão devemos estudar matemática?

Aqui vão duas das melhores razões para um(a) aluno(a) do IST o fazer:

  1. É um dos melhores meios para aprender métodos para resolver problemas. Estamos a pensar com generalidade: aprender a abordar um problema como se faz em matemática, embora o problema possa não estar diretamente relacionado com matemática.
  2. É uma maneira excelente de ganharmos confiança intelectual: saber que conseguimos aprender matérias difíceis é um meio para confiarmos em nós próprios quando formos chamados a resolver problemas no mundo real.

Como devemos estudar matemática?

Pode parecer que se resolvem bem problemas sem haver necessidade de saber a teoria. Porque razão devemos perceber os teoremas?

Perceber um teorema é perceber uma propriedade geral dum objeto, é ficar na posse duma espécie de carta de navegação no mundo onde habitam esses objetos. Podemos encontrar imprevistos no caminho, obrigarem-nos a seguir outra rota, mas se percebemos o teorema, sabemos onde devemos chegar mesmo seguindo por caminhos diferentes.

Aqui vão algumas dicas sobre como perceber os teoremas e assim ganhar treino na resolução de problemas:

  1. Uma das dificuldades dos teoremas matemáticos são os símbolos gregos. Não ajuda nada não conseguir pronunciar bem delta, ou confundir phi e psi. Se é o seu caso, dedique algum tempo a estudar o alfabeto grego (com a internet isto reduz-se a uma consulta rápida). Vai ver que com o tempo começa a perceber melhor o significado do epsilon e do delta no teorema da continuidade.
  2. Acontece com frequência que num teorema pouca coisa faz sentido à primeira vista. Neste caso, é altura de passar aos exemplos. O entendimento dum pedaço de matemática (mesmo para os especialistas) nunca é completo, nem último. É sempre útil termos em vista de que o que hoje percebemos parcialmente já pode servir para resolver alguns problemas. Os exemplos podem ajudar a ganhar prática com as propriedades e completar a compreensão do que ficou meio-entendido no teorema.
  3. Ler matemática com papel e lápis na mão (também pode ser com um ipad) funciona para muitas pessoas. Inventar pequenos exemplos para nós próprios ou para os nossos colegas de estudo é um excelente teste à nossa compreensão.

Aquilo que nos pareceu um dia quase incompreensível pode tornar-se claro à luz de outros conhecimentos posteriores, eles próprios meios obscuros. É sempre bom voltar ao que se deixou meio-entendido depois de se ter tentado resolver exercícios standard. Assim, se não consegue entender completamente este teorema hoje, avance para outro tópico e volte ao teorema um dia depois.

Escrito por Ana Moura Santos
(Profª do Dep. Matemática IST)

studying

8 maneiras de melhorares o teu estudo

Come frequentemente mas em pequenas quantidades

Evita comer muito antes de estudares. Demasiada comida vai colocar o teu corpo em modo “hibernação”. Mas também não deves passar fome, por isso refeições pequenas são o aconselhável.

Estudas quando estás mais desperto

Estuda de acordo com o teu relógio biológico. Estás mais ativo durante a manhã ou durante a noite? Agenda os teus materiais mais difíceis para quando estás mentalmente no teu melhor – em termos de concentração e motivação – e os mais fáceis para as outras alturas. Vais ver que o rendimento do teu estudo vai ser muito melhor.

Bebe água frequentemente

Deves ir bebendo água durante a tua sessão de estudo, especialmente quando te sentes mais esgotado. A cafeína pode ajudar a manteres-te acordado, mas também pode aumentar a tua ansiedade – usa-a com moderação.

Não fiques demasiado confortável na tua cadeira

Escolhe uma cadeira que suporte as tuas costas. Ela deve ser confortável, mas não demasiado. Se o teu corpo estiver confortável, a tua energia é canalizada para onde interessa – o teu cérebro. Se estiveres demasiado confortável e não tiveres respeitado a 1ª regra (comido demasiado) então o mais provável é adormeceres.

Limpa da tua secretária tudo o que não interessa

A tua secretária só deve ter tudo aquilo de que necessitas para o estudo e nada mais. Tudo o que estiver lá a mais vai servir para te distrair ou para te tornar mais ansioso (objetos que te façam lembrar outros compromissos). “Mesa arrumada é mente arrumada.”

Faz uma pausa a cada hora

Tal como já referimos noutros artigos, é importante fazeres pausas quando te sentes cansado ou quando a tua concentração está a desvanecer-se. Pausas regulares ajudam-te a recarregar energias e a recuperar a concentração. Gere o tempo de trabalho versus tempo de pausa à tua maneira.

Exercita-te durante as pausas

Quando estás sentado durante muito tempo, a gravidade puxa o teu sangue para as partes inferiores do teu corpo e as tuas articulações e músculos ficam entorpecidos. Quando fazes uma pausa, faz algumas respirações profundas para enviares mais oxigénio para o teu cérebro, anda um pouco pela divisão ou faz alongamentos. Assim vais aliviar a tensão no teu corpo e ativar a circulação.

Estuda à mesma hora, no mesmo sítio

Tenta estudar sempre no mesmo sítio e se possível às mesmas horas. Desta forma não só crias uma rotina como vai fazer o teu cérebro associar determinado lugar ou hora ao estudo. Assim quando te sentares o teu cérebro já sabe o que vai fazer e já se preparou. Não subestimes o poder da psicologia.

start today

As 5 melhores técnicas para aumentar a produtividade

No link abaixo são apresentados 5 métodos para aumentar a produtividade. Um deles é a técnica pomodoro (que já aqui foi apresentada) que foi a mais votada pelo leitores do LifeHacker como “a melhor técnica”. Também de referir a técnica Getting Things Done (GTD) que teve origem no livro com o mesmo nome e que se classificou em 2º lugar.

Fontehttp://lifehacker.com/5890129/five-best-productivity-methods

Frustrated college student

Como aumentar o rendimento dos estudos?

Segundo especialistas, cada estudante desenvolve uma maneira de estudar diferente, no entanto nem todos alcançam o objetivo esperado. Isso acontece devido à falta de certos hábitos de estudo.

Analisando as várias formas de estudo e os resultados dos testes, chegou-se à conclusão de que os estudantes não estão a tomar os devidos cuidados na hora de estudar, impossibilitando a compreensão da matéria e, consequentemente, os bons resultados nos testes.

Para que isso não te aconteça, segue-se uma pequena lista de coisas que podes fazer tanto nas aulas, como na hora de estudares. Espero que estas dicas te sejam ajudem a melhorar o teu rendimento escolar:

Dorme o suficiente

Uma boa noite de sono é importante para manter o corpo e a mente sãos.

Mantém uma dieta saudável

Segundo uma pesquisa efetuada pela universidade de Chicago (EUA), alto teor de carbo-hidratos, fibras e alimentos de digestão lenta, como aveia, são os melhores para dar resistência e velocidade de raciocínio antes de qualquer teste/exame.

Pratica exercício físico

Tal como uma boa noite de sono, o prática regular de exercício físico é importante para manter um corpo e mente saudáveis.

Não queiras fazer tudo ao mesmo tempo

Muitos alunos insistem em estudar enquanto ouvem música ou enviam mensagens de texto aos amigos, uma pesquisa realizada pela psicóloga Nicole Dudukovic, da Trinity College (EUA), mostra que ser uma pessoa multitask pode atrapalhar, pois no meio de tantas distrações as informações são pouco retidas pelo cérebro.

Não desperdices as aulas

Tenta não te desligar das aulas, mas mais importante não as encares como um desperdício de tempo. Se pensares assim isso irá fazer com que não tires o maior proveito possível delas e com que elas se tornem ainda mais insuportáveis.

Sê curioso

Faz todas as perguntas para que tires o maior proveito das aulas e para que não fiques com a matéria “tremida”.

Faz anotações e resumos

Desta forma, aumentas as hipóteses de captares a matéria em questão de uma forma clara. Não queiras escrever rapidamente tudo o que o professor diz, deves esperar para escrever as anotações apenas quando já compreenderes completamente o assunto em questão. Para além disto, tenta relacionar a matéria com assuntos já dados anteriormente, de modo a teres uma ideia mais consolidada dos conteúdos.

Não estudes tudo de uma vez

Organiza os teus estudos. Isso irá permitir que te lembres de tudo o que aprendeste e a informação irá manter-se na tua memória  a longo prazo. Para além disso, tenta fazer pausas breves para espaireceres enquanto estudas. Desta forma irás aumentar o teu rendimento de estudo.

Existem várias técnicas para estudar de forma eficiente, uma delas é a técnica Pomodoro. O professor Paulo Carreira explica-te quais as suas vantagens e como a deves usar em apenas 6 minutos neste vídeo.

Testa-te várias vezes antes do exame

Isto ensina o cérebro a recuperar e aplicar o conhecimento memorizado. Na noite antes do exame, revê as matérias mais difíceis – segundo Dan Taylor, especialista em sono da Universidade do Norte do Texas (EUA), esta abordagem torna mais fácil o processo de memorização. Este ainda acrescenta que não devemos acordar mais cedo para estudar, pois uma boa noite de sono também auxilia a memória.

Procura ter um estudo regular

Não deixes tudo para a última. É mais fácil se fores decorando aos poucos a matéria e, no fim, fizeres uma revisão geral.

Estuda num sítio agradável

Que seja arejado, com bastante luz e onde te sintas bem.

Faz um horário de estudo

Esta técnica não resulta com todas as pessoas, mas vale a pena o esforço.

Premeia-te com os sucessos

E castiga-te com os insucessos. Esta é uma boa motivação. Se o fizeres, poderá dar-te uma maior vontade de estudares e alcançares os objetivos.

Nunca desistas

Isto é o mais importante! Por mais difícil que seja, sem trabalho nada se consegue.

 

Fontes:

Employee-Of-The-Month

Qualidades de um empregado excecional

É sabido que o Instituto Superior Técnico é considerado a melhor faculdade de engenharia de Portugal. Mas nem só as skills que são aqui ensinadas serão importantes para a tua vida futura, para a tua carreira. Os bons empregados não se satisfazem por ter o seu trabalho pronto, mas sim, ter o trabalho pronto, a tempo e horas, e com uma qualidade acima da média. Os bons empregados são pró-ativos, lideres e de confiança. Seguem-se algumas dicas para te tornares num empregado excecional:

1. “Ignora” descrições de trabalho

Quanto menor a empresa, a tendência dos seus empregados é o de se preocupar consigo próprio e não com o bem comum da empresa.
Quando um projeto estiver em risco, os empregados notáveis (ou seja, TU), devem saber sem que lhes seja dito que há um problema e por iniciativa própria tentarem-no resolver (como por exemplo ajudar um colega que está com imenso trabalho), mesmo não sendo o seu trabalho.

2. Sê excêntrico

Os melhores funcionários são muitas vezes um pouco diferentes. Tenta ser subtil, e às vezes irreverente. Podem achar-te estranho mas de uma forma boa. Podes-te transformar na personalidade que “agita” as coisas no local de trabalho, e que transforma o trabalho em algo divertido. Se não tiveres medo de ser diferente e de esticar os limites, podes vir ter muito boas ideias para o teu trabalho.

3. Conhece os teus limites

Uma personalidade incomum é muito divertida… até que deixa de o ser. Quando um grande desafio aparece, os melhores funcionários param de expressar a sua individualidade e encaixam-se perfeitamente na equipa de trabalho. Os grandes empregados sabem quando devem brincar e quando devem ser sérios; quando devem ser irreverentes e quando devem-se conformar. É um equilíbrio difícil de atingir, e são raros os que conseguem caminhar sobre essa linha com facilidade.

4. Trata alguns problemas em privado

Deves tratar as questões sensíveis antes ou depois de uma reunião. Deves saber quando deves levantá-la num ambiente de grupo ou quando esse assunto poderia desencadear uma tempestade.

5. Comunica

Alguns dos teus futuros colegas são mais tímidos, e por isso ficarão hesitantes em falar nas reuniões, outros são ainda hesitantes em falar em privado.

Um empregado uma vez fez-me uma pergunta sobre demissões potenciais. Após a reunião, eu disse-lhe: “Porque é que perguntou isso? Já sabe o que está a acontecer.” Ele disse: “Eu sei, mas um monte de outras pessoas não fazem ideia, e eles têm medo de perguntar. Eu pensei que seria bom se eles ouvissem a resposta de si.”

Deves ter uma sensação inata para as questões e preocupações daqueles que te rodeiam, e até podes fazer perguntas ou levantar questões importantes quando outros hesitam.

6. Inova

Algumas pessoas são insatisfeitas (no bom sentido) e estão constantemente a “brincar” com alguma coisa: Refazer um cronograma, ajustar um processo, aprimorando um fluxo de trabalho. Os grandes empregados ​​encontram maneiras de tornar os processos ainda melhores, não só porque se espera que o façam… mas porque eles simplesmente não podem evitá-lo.

 

Fontes: