Category Archives: Aprende

handshake-offered

5 razões para ter reuniões presenciais

Atualmente em muitas empresas os contatos entre a empresa e os clientes são feitos por mail, Skype e outras formas de comunicação. Este hábito tem vindo a ganhar cada vez mais adeptos, o que tem feito desaparecer as reuniões presenciais. Esta prática estende-se também no dia-a-dia das pessoas que comunicam preferencialmente através do telemóvel, seja com mensagens ou através de chamadas, mas também através de mail.

As vantagens de existirem reuniões presenciais são várias, já que numa reunião presencial podemos observar algo sobre a pessoa com quem estamos a comunicar que não é possível através de texto ou de uma videoconferência. Neste artigo apresentam-se 5 razões para serem feitas reuniões presenciais.

1. Conhecer realmente as pessoas com quem comunicamos

Isto apenas pode ser feito com uma reunião presencial, porque através de um mail ou telefonema não é possível afirmar-se que se conhece realmente a pessoa em causa. Não sabemos se a pessoa se expressa com alguma naturalidade ou se é introvertida, daí a reunião presencial ter um peso relevante nestas situações.  Tal como não sabemos se uma pessoa que escreve um mail “simpático” se essa pessoa é realmente simpática ou a sua aparência.

2. Não usar conversas demasiado curtas

Se numa reunião quiseres aprender algo sobre as pessoas com quem estás a reunir tenta não ser demasiado curto nas tuas conversas. Isto ganha alguma relevância com o ponto anterior já que se a conversa for curta não será possível retirar muito da reunião em causa. No mundo dos negócios as reuniões servem em muitas situações para arranjar soluções para alguns problemas de forma rápida e eficiente e a parte de conhecimento entre as pessoas que irão participar na resolução desse mesmo problema é um bocado esquecido.

3. Causar impressão

Hoje em dia é cada vez mais importante a primeira impressão que alguém tira de nós. Logo devemos pensar bem na nossa aparência para que as pessoas não tirem conclusões erradas sobre nós. Isto ganha principal destaque nas entrevistas de emprego, porque aquela primeira impressão que é tirada logo na primeira entrevista de emprego muitas das vezes dita se iremos ficar com o emprego ou não.

4. Leitura de linguagem corporal

Mais um aspeto que apenas pode ser feito numa reunião presencial. Por exemplo, numa entrevista de emprego são feitas algumas perguntas em que as pessoas podem ficar nervosas ou não e onde também se pode perceber se a pessoa mente em relação a algo que está no currículo e que não pode ser apreendido através de telefone ou mail.

5. Aprender onde é que está a ação

Muitas vezes ter uma reunião de trabalho entre cliente e empresa é importante, principalmente se o cliente é outra empresa. Essas reuniões servem principalmente para perceber como é que se trabalha nessa empresa. Numa reunião de trabalho deste tipo pode se perceber se os empregados dessa empresa estão contentes, a dinâmica de trabalho desenvolvido dentro daquela empresa, as condições de trabalho, etc.

Apesar de ser um apoiante das novas tecnologias de comunicação com este artigo e com estes 5 pontos pretendo mostrar que as reuniões presenciais não podem desaparecer em definitivo, pois existem aspetos que apenas podem ser aprendidos nas reuniões presenciais.

 

Fonte:

Calendário

Gere o teu tempo com um calendário

Entraste para a faculdade e pensas que vai ser igual à secundária? Pois enganas-te! Aqui tens que trabalhar ao longo do semestre, fazer projetos e estudar… muito! Aqui vão algumas dicas para te ajudar a gerir o tempo que terás disponível, não só para estudar, mas também para desanuviar a cabeça.

Calendário

1. Arranja um calendário

Podes usar um calendário em papel, no telemóvel, no Gmail. Não importa em que formato, importa que o arranjes! Marca nele todos os testes e entregas de projeto. Também deves ter atenção que não vais conseguir estudar de forma contínua durante um dia inteiro. Deves ter também em conta o tempo para descansares.

2. Não enchas o teu calendário

Existem coisas que não podes prever, como um atraso, um acidente ou um convite inesperado. É essencial que aloques algum tempo para o caso de algum destes imprevistos acontecerem, para assim ser fácil conseguires realocar o tempo “perdido”.

3. Planeamento adiantado

Se tens um projeto para entregar na última semana do semestre e pensas que vais precisar de 2 semanas para fazer é bom andar para trás no calendário, desde o dia em que o tens que o entregar, e ir alocando o tempo que tens disponível. Se conseguires aloca mais 2/3 dias do que achas necessário pois nunca conseguirás ter uma previsão exata do tempo que vais gastar.

4. Interrupções

As interrupções são as grandes causadoras do não cumprimento de planos. Distinguir momentos de trabalho de e momentos de lazer é essencial. Se um colega te interrompe para te mostrar algo no YouTube, Facebook, etc., diz-lhe para esperar um pouco e que vês o que ele te queria mostrar quando fizeres a tua pausa.

5. Pausas

Enquanto estás a trabalhar (por exemplo a estudar ou a fazer um projeto) deves estar concentrado nessa tarefa e evitar ao máximo aquelas “pequenas” pausas para ir ao Facebook, 9GAG ou ao e-mail. Faz pausas de 5-15 minutos depois de 1h de estudo. O cérebro humano não consegue “absorver” muita informação seguida, por isso é importante dares-lhe o merecido descanso.

 

Fontes:

Figure talk

8 dicas fundamentais para qualquer apresentação

1. Posição

Dependendo do tamanho da audiência ou até mesmo do tamanho da sala, é muito mais impressionante se o apresentador estiver de pé. Assim denotas autoridade e competência e também transmites à audiência que levas a apresentação a sério. Uma das vantagens de se estar nesta posição é que estás mais perto dos slides projetados (caso sejam usados) e assim podes aproveitar para apontar diretamente para os slides caso queiras destacar determinados pontos.

2. Contacto visual

Um bom contacto visual é uma das coisas mais importante numa apresentação porque permite envolver o público. Desta forma ele sente que estás a falar com eles e não com o chão! Este contacto também permite controlar o fluxo da apresentação pois assim é possível avaliar as reações e respostas da audiência. É uma boa tática de apresentação, mas talvez também seja a mais difícil e requer muita prática.

3. Saber o conteúdo

Nada há nada que quebre mais o fluxo da apresentação do que um apresentador que não sabe o conteúdo da sua apresentação. É fundamental estudares a matéria que vais apresentar. Torna-te o “especialista”.

4. Usar histórias para envolver a audiência

Em vez de contares piadas para quebrar o gelo, é mais interessante contares histórias sobre a tua experiência pessoal. É uma boa tática para quando se sente que o público está a perder a atenção.

5. Falar devagar e de forma clara

Se apresentares devagar e se te focares na clareza do discurso, vais ter um melhor impacto por parte da audiência. Isto é importante, pois assim a assistência tem tempo para pensar no que é dito, ao contrário do que acontece nas apresentações onde o discurso é feito a “correr”.

6. Divisão do tempo

É importante dividires o tempo da apresentação para ocupares mais tempo na matéria a que queres dar mais ênfase, para que esta fique bem explicada e não deixe dúvidas.

7. “Questões?”

Deves decidir atempadamente se queres que a audiência te interrompa durante a apresentação ou se devem guardar as perguntas para o final. A audiência usualmente prefere fazer as perguntas logo que haja dúvidas, portanto sempre que possível deves permiti-lo.

8. Praticar!

Como em qualquer preparação para exames, praticar é essencial para que a apresentação corra bem. Podes ensaiar sozinho (por exemplo, à frente de um espelho) ou com uma audiência, mas o importante é mesmo praticar.

Fontes:

StudyHard

Dicas para um exame de sucesso

Antes do exame

It’s the night before a big exam, and suddenly you’ve realized that those equations won’t solve themselves.

É isto que acontece a vários alunos na faculdade. Não estudam o suficiente durante o semestre e na época de deparam-se com muito pouco tempo para estudar as matérias que foram lecionadas ao longo de um semestre.

É importante ter atenção a quatro tópicos:

  • Quanto tempo resta para estudar?

É essencial avaliarmos o tempo que temos disponível para estudar, e quanto tempo vai ser atribuído a cada cadeira. Algumas cadeiras precisarão de mais horas de estudo do que outras. Não nos podemos esquecer que é impossível estudar muito tempo seguido com o mesmo nível de concentração. É importante fazer pausas regulares.

  • Onde estudar?

Muitas pessoas conseguem estudar num ambiente ruidoso. Na minha opinião um sítio calmo é o ideal. Podem escolher, por exemplo, entre uma biblioteca ou mesmo a própria casa, mas nunca perto de elementos que possam desviar a atenção (TV). O PC deve ser utilizado quando as matérias estão em formato digital (e não para ter o Facebook aberto).

  • Que elementos de estudo usar?

Para mim os slides das aulas teóricas e os exercícios realizados nas aulas práticas são fundamentais. Para tirar alguma dúvida recorro ao livro da cadeira, ou mais rapidamente à Internet (Wiki, fóruns, etc.).

Exames de anos anteriores são usualmente distribuídos pelos professores do ano corrente, mas se isto não acontecer, pode-se sempre ir às páginas de anos anteriores para os consultar.


Dia do exame

Existem vários tipos de questões nos exames. Temos as de escolha múltipla, Verdadeiro/Falso, resposta curta e de programação. Também existem os exames chamados de Open Books.

Escolha múltipla

  • Ler atentamente a pergunta e as escolhas possíveis é essencial.
  • Eliminar as respostas que temos a certeza que estão incorretas.
  • Antes de fazer a escolha final, reler todas as opções.
  • O primeiro instinto geralmente é o correto (a menos que tenhamos interpretado mal a pergunta).
  • Se se estiver a gastar muito tempo na mesma pergunta, é melhor passar à frente e depois volta-se a esta.
  • Se não existe desconto por respostas erradas (muito pouco provável), começar a fazer suposições.

Verdadeiro/Falso

  • É importante lembrar que se alguma parte da resposta é falsa, toda a resposta é considerada falsa.
  • Palavras como “nunca” e “sempre” significam que a resposta tem que ser verdadeira em todas as situações.
  • Palavras como “usualmente”, “por vezes” e “geralmente” significam que a resposta é verdadeira ou falsa consoante as situações.

Resposta curta

  • Usar respostas simples e frases concisas.
  • Se não nos lembramos da resposta, tentar fazer uma educated guess. Uma resposta parcialmente correta tem mais pontos que uma resposta em branco.

Programação

Em exames de cadeiras de programação, onde por vezes existem projetos para realizar durante o semestre, é usual existir uma pergunta de programação sobre esse mesmo projeto. O que é pedido nessa questão é um incremento da funcionalidade desse projeto, ou algo muito semelhante do que foi feito nesse trabalho. Quem participou no projeto, e fez uma revisão do que foi feito antes do exame não vai ter grandes problemas em responder a esta pergunta.

Com consulta

Com este tipo de exames, é possível levarmos o material que quisermos para o exame. Livros, apontamentos, slides…

Embora pareça que o trabalho fica muito mais fácil, se não nos prepararmos antes, não saberemos onde procurar as matérias, e levaremos muito tempo a encontrá-las. Separar a matéria por tabs é uma boa solução para economizar tempo, para conseguirmos encontrar a resposta no meio de tanta informação.

Fontes:

Exercício mental

Aprende o que quiseres em 4 passos

Aprender algo novo é tão simples como descobrir como se faz e praticar, silenciosa e persistentemente, até sair bem. Diz-se que o cérebro é como um músculo. Como tal pode ser treinado e fortalecido através de estímulos regulares.

Exercício mentalTanta gente há que se inscreve no ginásio no início do ano com o desejo de tonificar o corpo. De
pois apercebem-se que isso envolve dúzias de flexões e abdominais, vezes e vezes sem conta. O esforço necessário e a falta de resultados imediatos cria desmotivação e muitos fartam-se e desistem. Precipitaram-se.

Aprender algo novo é como o desporto. Vai requerer esforço da tua parte, motivação e principalmente persistência. É um investimento a longo prazo, por isso não esperes resultados rápidos. Aqui ficam 4 dicas para aprenderes o que quiseres:

1) Procura o conhecimento

Hoje em dia não há desculpa para não encontrar a informação que pretendemos. Wikis, fóruns, Q&A sites, até mesmo sites pessoais, todos com informação preciosa e gratuita sobre praticamente tudo. Se podes pagar então podes optar por livros ou ainda frequentar um curso prático ou comprar um online (recomendo Lynda.com pela sua variedade e qualidade).

2) “Seja responsável, aprenda com moderação”

Lá porque podes aprender tudo não quer dizer que o devas fazer. Não percas tempo a aprender algo que não te vai ser útil. Se precisas de resolver um problema específico então aprende apenas o suficiente para resolver o problema, não explores o assunto a fundo (a menos que te interesse e que prevejas alguma utilidade).

3) Arranja tempo para praticar regulamente

É aqui que te vais esforçar e gastar as tuas energias. Pratica aquilo que leste ou aprende praticando! Até vais sentir as tuas conexões cerebrais a crescerem! Dependendo do tempo que tens disponível e do quanto te queres empenhar, algo entre uma hora por dia ou duas horas por semana deve chegar. Podes achar difícil manteres-te motivado, por isso vais adorar a próxima dica…

4) Cria um projeto!

Simples e eficaz, a melhor maneira de aprenderes algo novo é tornar essa experiência num projeto empolgante. Os especialistas concordam que é mais fácil aprendermos quando temos um motivo, um objetivo que queremos muito atingir. Por exemplo, eu queria aprender a fazer páginas web usando HTML por isso decidi criar uma página pessoal para expor as minhas fotos. Resultado: aprendi HTML e ainda fiquei com as minhas fotos expostas numa página espetacular.

Uma última nota, sê eficaz. Demasiadas vezes alguém (diz que) quer aprender a fazer documentários e vai à loja comprar um enorme livro para principiantes sobre como fazer documentários. O que na realidade ele devia fazer era arranjar uma câmara e começar a filmar e a experimentar. Aprende-se sempre melhor ao fazer.

Um especialista é uma pessoa que já vez todos os erros possíveis na sua área de especialidade. - Niels Bohr

…e ninguém comete erros a ler um livro.

Fonte: http://adamwestbrook.wordpress.com/2012/02/06/you-can-learn-anything-and-why-you-should-entrepreneurial-journalism-adam-westbrook/