Chegada à faculdade

Entrei na faculdade e agora?


Here is the world. Beautiful and terrible things will happen. Don’t be afraid. - 
Frederick Buechner

A transição do secundário para a faculdade é uma fase crucial na vida do estudante. Este é, não só, um período de aumento de autonomia e liberdade, mas também um período onde aumenta o seu sentido de responsabilidade e autodisciplina.

Chegada à faculdade

Neste sentido, um estudante tem de lidar com inúmeras tarefas que até ao momento lhe eram desconhecidas:

  • procurar alojamento;
  • procurar emprego, part-time ou full-time;
  • gestão de dinheiro;
  • lidar com uma nova vida social.

Mas a maior dificuldade está no facto de efetuar todas estas novas tarefas num novo ambiente, longe da sua casa, por vezes com falta de apoio.

Não surpreende que o estudante encare este período com apreensão e ansiedade, isto depois da alegria de ter conseguido entrar para a faculdade (alegria que pode tingir todo o primeiro ano de frequência da faculdade). Há também os estudantes que encaram o primeiro ano como um período de descanso, assumindo uma postura mais descontraída, fascinando-se com tudo o que se passa à volta deles.

O insucesso académico muitas vezes dá-se devido à postura que o estudante tem, pelo que só muito tarde tomam medidas para lidar com este insucesso e nessa altura já a recuperação é mais lenta e mais esforçada.

A verdade é que quando o estudante entra para o ensino superior encontra um ambiente radicalmente diferente do que conheceu durante toda a sua vida estudantil, sendo as diferenças assinaláveis, nomeadamente no que diz respeito à relação professor-estudante, às formas de avaliação e à quantidade de matéria para estudar. O estudante deixa de ter um manual por disciplina, passando a ter uma bibliografia recomendada, que poderá ou não fotocopiar, e que terá de sintetizar.

Os momentos de avaliação reduzem-se a dois, caso o método de avaliação seja por testes, ou um, caso seja por exame, tendo cada um destes métodos uma oportunidade de repescagem. Independentemente do método, a quantidade de matéria a estudar é claramente superior à matéria que era exigida estudar no secundário.

Estudantes que tiveram de sair de casa dos pais, passando a viver em residências ou quartos, são confrontados com um conjunto de dificuldades acrescidas, como a sensação de solidão, saudades de casa, amigos e família e ainda o medo de não se conseguirem “governar” sozinhos.

Os estudantes que conseguirem iniciar este processo de uma maneira positiva estão, de certa forma, mais protegidos contra o insucesso académico ou desmotivação académica.

Dicas:

O que pode então o estudante fazer para se adaptar mais facilmente a este período:

  1. Procurar construir uma rede social forte, tentando fazer amigos na nova instituição de ensino, formando um bom grupo de trabalho, mas sem esquecer os relacionamentos que tinha antes de entrar no ensino superior;
  2. Estimular-se intelectualmente, tentando tirar partido desta fase de crescimento intelectual;
  3. Procurar equilibrar a vida académica com atividades extracurriculares, como saídas ao ar-livre, convívio com amigos, entre outras;
  4. Adquirir hábitos de estudo que envolvam definição de objetivos, gestão de tempo, prazos, organização de apontamentos e identificação de um método de estudo apropriado;
  5. E mais importante, manter uma atitude positiva em relação a todo este processo, a si mesmo, aos outros e ao quotidiano.

Fontes:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>